Profissionais da empatia e da compaixão

A quinta e última profissão identificada pela empresa Hotmart como «profissão do futuro» é a de especialista de saúde mental. Dada a maior consciência pública da centralidade da nossa saúde mental, para além da física, como garante do nosso bem-estar, a procura por psicólogos, psiquiatras e profissionais afins deverá ser crescente ao longo dos próximos anos.

O Guia de Profissões para os Jovens inclui entre as suas 160 profissões precisamente as de psicólogo e psiquiatra. E as duas pessoas convidadas a «representarem» as suas profissões, mais especificamente as de psicoterapeuta e de pedopsiquiatra, são respectivamente Marta Sannino e Ana Vasconcelos.

Marta Sannino, entre outras coisas, assinala que «para além da formação em contexto universitário e nas diversas Sociedades de Psicoterapia, este profissional [psicoterapeuta] deve desenvolver a sua empatia, flexibilidade, expressão verbal e emocional. E pôr os próprios conhecimentos em causa, mantendo uma postura curiosa e aberta perante novos saberes.» Ana Vasconcelos também põe ênfase na dimensão humana, e não médica, da sua profissão: «Como escreveu William Osler, “é mais importante conhecer o doente que tem a doença do que conhecer a doença que o doente tem”. A psiquiatria, e em particular a pedopsiquiatria que pratico, é uma especialidade médica onde impera a relação humana e onde o foco está no sofrimento psicológico do paciente. Por isso são competências essenciais à boa cultura e prática médicas a empatia, a compaixão, a solidariedade e o altruísmo.»